Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Anúncio de emprego em Roraima veta contratação de imigrante: ‘que não sejam venezuelanos’
Início do conteúdo da página
Notícias

Anúncio de emprego em Roraima veta contratação de imigrante: ‘que não sejam venezuelanos’

  • Publicado: Terça, 08 de Outubro de 2019, 12h14
  • Última atualização em Terça, 08 de Outubro de 2019, 12h14

Anúncio para vaga de caseiros em fazenda foi publicado nas redes sociais; MPT alerta que é vedada restrição que caracterize discriminação.

 

Por Portal Roraima1 em

 

Um anúncio de emprego publicado nas redes sociais gerou polêmica em Boa Vista. Na publicação feita em uma página do Facebook na última sexta-feira (4), o proprietário de uma fazenda no município de Iracema anuncia vaga para caseiros e veta contratação de imigrantes: “que não sejam venezuelanos”.

Além da restrição, o proprietário da fazenda lista uma série de atividades a uma remuneração de apenas R$ 1,5 mil, sem auxílios. Internautas questionaram: “trabalho escravo?”.

“Procuro casal de Caseiro que tenha experiência em manejar gado e outros animais, que a mulher saiba cozinhar bem, ser zelosa e limpa. Que o homem saiba vacinar gado, curar gado, fazer cerca, cuidar da horta, e saber um pouco de tudo que há em uma fazenda”, diz trecho da publicação.

Ainda no post, o proprietário da fazenda destaca: “Remuneração R$ 1.500,00 (sem rancho) Que não sejam venezuelanos! Só entrem em contato se tiverem todos os requesitos sitados acima”, completou.

A reportagem entrou em contato por meio do telefone informado no anúncio, mas foi apenas informada que o anúncio procede e que o motivo de não contratar imigrantes venezuelanos é ‘porque não’, disse o homem, que não informou a identidade.

O responsável pela página do Facebook disse apenas que reproduz o material que circula em demais redes sociais.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) alerta que é vedada restrição que caracterize discriminação. “Seja em relação à nacionalidade, ao gênero, à orientação sexual, dentre outras. Tanto a Constituição Federal de 88 quanto a legislação infraconstitucionais vedam o tratamento discriminatório do migrante em relação ao brasileiro”, comentou a procuradoria.

Clique aqui para acessar o Portal Roraima1 e ver a reportagem completa

 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página